Bolsa Maternidade – Como Receber

Logo abaixo você vai ficar por dentro de tudo sobre o Bolsa Maternidade, vai conhecer melhor esse benefício, saber quem tem direito, se é fácil ser aceito, se vale a pena participar e tudo mais.

O governo do Distrito Federal anunciou no domingo dia 10 de maio de 2020, que as mães de baixa renda podem agora ter direito ao programa Bolsa Maternidade. As beneficiadas recebem um kit com itens de enxoval e um auxílio único de R$200,00.

Chegou para as mães de recém nascidos em Brasília um novo lançamento. O governo do Distrito Federal GDF, criou o programa Bolsa Maternidade, que tem o intuito de dar suporte para os primeiros dias de vida dos bebês.

Conforme o Governo do Distrito Federal, o programa é promovido pela secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), voltado para mães de recém-nascidos, que fazem parte de família com renda per capita igual ou menor que meio salário mínimo. Para participar, é necessário fazer o cadastro no aplicativo e GDF como vamos mostrar logo abaixo.

Como receber Bolsa Maternidade

O kit entregue para as mães inclui materiais para oferecer o suporte material necessário para os primeiros dias de vida do bebê, de acordo com o GDF. A bolsa conta com: cobertor, body fechado, cueiro, macacão longo, macacão curto, culote, meia, toalha, casaco com capuz, lenço umedecido, pomada anti assadura e fralda descartável.

Além disso, de acordo com o Governo do Distrito Federal, o auxílio financeiro no valor de R$200,00 vai ser pago também em caso de natimorto.

Quem tem direito a receber o Bolsa Maternidade

Para conseguiu receber o Bolsa Maternidade é necessário comprovar baixa renda, e é preciso estar morando no Distrito Federal há pelo menos seis meses. Além disso, o benefício pode ser pago a pessoas em situação de rua incluídas na Política de Assistência Social e que integram o programa Criança Feliz Brasiliense.

Portanto, resumindo, para ter acesso ao benefício é necessário que a renda seja igual ou menor que meio salário mínimo, é preciso comprovar que mora no Distrito Federal há no mínimo seis meses. E, pessoas que moram nas ruas também podem receber, mas precisam estar incluídas na Política de Assistência Social.

É importante ressaltar que as mães que já estão cadastradas no programa Criança Feliz Brasiliense também podem receber o Bolsa Maternidade. Inclusive, essas mães já estão aprovadas previamente e com isso não precisam passar pelas análises de documentação.

Como solicitar a entrada no bolsa maternidade

O Governo do Distrito Federal orienta que as mães que ainda não ganharam o bebê façam o cadastro pelo aplicativo que está disponível para celulares Android e iPhone, chamado e-Gov. Depois do nascimento, só tem como solicitar o benefício presencialmente, nos endereços das unidades de atendimento da Sedes, confira:

Vale a pena participar?

Sim, vale a pena participar desse programa as mães que tem baixas condições de vida, já que esse benefício foi feito exclusivamente pensando nelas, e para quem precisa toda ajuda é bem vinda.

Portanto, para as mães que são de baixa renda esse benefício concedido pelo Governo do Distrito Federal vale muito a pena, pois distribui para essas pessoas vários itens que são essenciais para os primeiros dias de vida do bebê.

A Bolsa Maternidade vem com vários itens muito importante para os bebês, como culote, macacão longo e curto, cueiro, body fechado, cobertor, meia, toalha, casaco com capuz, pomada anti assadura, lenço umedecido e fralda descartável.

E, como muitas mães possuem baixa renda familiar, muitas das vezes a maioria delas é bem capaz de nem conseguirem dar tudo isso para seus filhos, com isso o bolsa maternidade ajuda muito.

É fácil ser aceito?

Só é fácil ser aceito se realmente a mãe estiver dentro das regras para participar do programa. Agora, caso a mesma não esteja e tente participar do programa, ela irá ser reprovada sem dúvidas.

Então, saiba que só vai ser aceito fácil quem estiver conforme o estabelecido, ou seja, que tiver baixa renda, e residir no Distrito Federal há pelo menos seis meses. E, também caso a pessoa esteja em situação de rua incluída na Política de Assistência Social e que integram o programa Criança Feliz Brasiliense.

Sobre o programa

O Bolsa Maternidade é um programa concedido pelo Governo do Distrito Federal que se caracteriza, dentro dos benefícios sócios assistenciais como auxílio natalidade. E, além da possibilidade de ser solicitado como bens de consumo, também tem como opinar pela modalidade pecúnia. Com essa escolha é fornecido em parcela única R$200,00 por criança nascida ou em situação de natimorto.

Uma das idealizadoras do Bolsa Maternidade, foi a deputada federal Flávia Arruda e ela enfatizou o retorno da iniciativa dizendo que ficou muito feliz, já que um enxoval para a criança a ajuda no aleitamento materno e um atendimento especial para as mães nos hospitais faz muita diferença.

Ela conta que quando eles criaram esse trabalho, em 2008, os mesmos atendiam todas as mães que davam à luz nos hospitais públicos. E, o Governo do Distrito Federal agora retornou com esse programa que é muito importante.

Desde quando o programa retornou, em maio de 2020, várias mães e suas crianças já estão sendo ajudadas com esse benefício que faz uma enorme diferença na vida de pessoas que possui baixa renda e realmente precisam de ajuda.

O programa foi uma iniciativa do Governo do Distrito Federal, e por enquanto só está disponível para os residentes de lá. Mas, caso o programa comece a se expandir e realmente ajudar um bom número de pessoas, provavelmente ele poderá se expandir para todos os estados do Brasil, dessa forma ajudando várias mães em situações de baixa renda.

Mas, por enquanto o benefício está ajudando várias mães com seus filhos recém nascidos no Distrito Federal. Realmente, o Bolsa Maternidade está sendo de grande auxílio para as mamães que não tem muitas condições financeiras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui